Lá, lá, lá… Iê, iê, iê!!!

Era uma noite de sexta-feira, pouco antes das 19hs. Antes mesmo de sair do trabalho, eu já tinha mordiscado todo meu lábio inferior de tanta ansiedade, o motivo dela, havia combinado de me encontrar com minha namorada, comer num lugar bacana, e namorar um pouco. Quando eu sai do trabalho ela não me esperava, e pra variar estava atrasada de novo, liguei pra ela e decidimos nos encontrar no Metrô Consolação, eu fui andando pela Av. Paulista, saindo da TV Gazeta até lá, a noite estava gostosa, boa pra caminhar, com um calor gostoso e uma brisa leve de chuva. Enquanto caminhava vi algumas pessoas que passavam pela Paulista puxando malas de viagem como se estivessem se despedindo da cidade.

Cheguei, e parei em frete da estação, vi um rapaz com chapéu Coco que imitava uma Cartola ligando seu mini-amplificador, e outro alto e cabeludo com um violino. Enquanto um afinava o violino, o outro solava sua guitarra chamando a atenção dos passantes. De repente eles dão uma paradinha e no momento em que o farol da Paulista se abre para os carros cruzarem a Augusta, eles recomeçam a tocar U2 no ritmo ditado pelo transito ♫ ♪ ♫ ♪ ♫ ♪… E eu ali, encostado na grade esperando meu beija-flor, fiquei estupefato com a sintonia da dupla, com a eficiência com que tornavam corpo e instrumentos, musica e transito numa expansão da alma dos que ali como eu simplesmente passavam e paravam para prestigiar a conexão dos dois com o resto da cidade. Com um repertorio que ia do clássico erudito ao bom rock, passando também pelo jazz, eles conseguiram formar em pouco tempo uma plateia considerável, e as merrecas não demoraram a aparecer, alguns fotógrafos que passavam por ali eternizavam o momento com suas lentes, e até mesmo os mais apressados viravam o pescoço ao passarem…

jonbergeron2

Quando minha namorada chegou, já não me restava mais nenhuma duvida de que aquele era um dos momentos mágicos que só São Paulo proporciona, um daqueles momentos que arrepiam o braço quando se lembra. Sou plenamente grato aqueles músicos de rua, por terem me entretido nas duas horas que fiquei parado, em pé e esperando naquela noite de sexta-feira.

Autor: @robsonpnx
Imagem: Jon Bergeron

Anúncios

Sobre Robson Almeida

Baiano radicado em São Paulo, Paulistano de coração | Diletante da Escrita | Efémero | Lascivo | Bucólico | Butequeiro | Blogueiro | Meio Intelectual | Meio de Esquerda | Gente Diferenciada...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s