Era uma vez, uma “ex”…

Tuas palavras vieram como um elefante no meio da sala. O que essa tonelada de passado está fazendo, tentando se enfiar no meu presente? Não há lugar para você no meu presente. Não porque eu não queira te colocar nele, por mágoa ou pirraça. Mas é que, pra mim, você é feita de passado. Um passado imiscível com o agora… Não preciso, não quero, não desejo me encontrar com você!

Logo após esse tango interminável, parecido com uma masturbação sem orgasmo, em que ficamos doentes ou fisicamente exaustos, proporcionado por familiares que desconhecem o desapego, somos assombrados pelo fantasma daquela complexa "ex" eterna namorada perfeita para sua mãe.

Mas vale especular um pouco sobre o que é ser "ex". Sobre o que significa deixar de ter sido um protagonista na historia de alguém, perder o papel principal. Todos, diga-se logo, somos "ex" de alguma coisa ou pessoa. Por isso, o prefixo tem um lado ambíguo quando não claramente negativo, sobretudo quando falamos de relacionamentos, na qual a regra é sempre encontrar alguém pra vida toda, e assim, perpetuar a espécie.

desapego

Não entendo esse apelo que muitos tem, de que para se estar feliz, é preciso ter alguém ao lado! Me sinto bem ao compartilhar bons momentos ao lado dos meus amigos e amigas, companhias únicas que sempre me proporcionam o melhor da vida! E mesmo me distanciando deles durante meu relacionamento, eles nunca deixaram de me aceitar do jeito que sou, porque os rios correm para o mar e quem é rei jamais perde a majestade. Nosso ideal é ficar por cima da carne-seca, e estando com eles, eu me sinto assim!

Tenho certeza de que tudo que foi, ainda não foi tudo! Ser resiliênte é natural do ser humano , imagina, quantos futuros não se tornam passado enquanto a gente não presta a devida atenção às rédeas do presente? E o que vir a seguir não pode ser somente prolongamento do presente ou resultado do passado… Porque as únicas coisa das quais eu não posso me desfazer pra viver são os meus órgãos. De resto, tudo se aguenta, substitui, supera, esquece.

E para quem achava que eu não me levantaria!
Subi mais forte, criei uma dinastia…

Autor: @robsonpnx

Anúncios

Sobre Robson Almeida

Baiano radicado em São Paulo, Paulistano de coração | Diletante da Escrita | Efémero | Lascivo | Bucólico | Butequeiro | Blogueiro | Meio Intelectual | Meio de Esquerda | Gente Diferenciada...

3 comentários sobre “Era uma vez, uma “ex”…

  1. Amigo Rob! Vc tem toda razão, somos hoje o que o passado nos ajudou com as experiencias boas e ruins. Podemos e devemos sempre praticar o desapego n esquecendo de seguir d cabeça erguida prestando atenção p n cometer erros passado.bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s