O genocídio de Alckmin (2)

CASO PINHEIRINHO: Não sou contra o direito de
propriedade, sou a favor do bom senso!

Em São José dos Campos, cerca de 1,6 mil famílias ocupam a área de mais de 1 milhão de m² que é “de propriedade” do “investidor” Naji Nahas, sujeito que chegou a ser preso na operação Satiagraha da Polícia Federal, em 2008. Como tem grana, foi liberado três dias depois. Ele também ficou famoso no episódio da quebra da bolsa do RJ.

Enfim, a área do Pinheirinho faz parte da massa falida da empresa Selecta S/A, de Naji Nahas (ah, ele também deve milhões em impostos à prefeitura de São José dos Campos, por que a prefeitura não cobra ele?).

O prefeito Eduardo Cury (PSDB) por anos vem resistindo para regularizar a área e essa semana até o Ministério Público está acusando a prefeitura de São José dos Campos de omissão. Há algum tempo os governos federal e estadual estão tentando ajudar na regularização da área, mas o prefeito tucano segue se omitindo.

Conforme relata o blog Conteúdo Independente, ”desde 2004 o senhor Naji Nahas, proprietário do terreno, exige a desocupação. Desde 2004 a prefeitura do PSDB de São José dos Campos encara o ‘problema’ do Pinheirinho como um caso de polícia. Nesse meio tempo, o número de habitantes cresceu, os lotes viraram casas, comércios e igrejas, e o terreno abandonado por mais de 30 anos virou um bairro.”

Destaco mais este trecho: “O que está em jogo há oito anos em São José é a disputa pelo direito à moradia, à liberdade de organização política, à justiça social e a luta contra a desigualdade econômica e todas suas consequências degradantes; em última instância é a luta pela dignidade humana.”

_______________________________________________________

Na sexta-feira (20/01), a reintegração de posse havia sido suspensa pelo Tribunal Regional Federal – 3ª região. A juíza MÁRCIA LOUREIRO (guardem esse nome), no entanto, não reconheceu essa liminar e manteve a ordem de reintegração, que resultou na violenta invasão do Pinheirinho esse domingo.

Por volta das 11h, um oficial da Justiça foi até a ocupação entregar uma decisão do juiz federal de plantão Samuel de Castro Barbosa Melo, suspendendo a ação. No entanto, o juiz estadual Rodrigo Capez (irmão do deputado estadual Fernando Capez, DO PSDB), que acompanha a reintegração, disse que havia um “conflito de competências” e não acatou a ordem do juiz federal.

Enfim, é triste ver a truculenta PM de Alckmin agindo a favor do “investidor” Naji Nahas.

Autor: Vinícius Bocato

Anúncios

Sobre Robson Almeida

Baiano radicado em São Paulo, Paulistano de coração | Diletante da Escrita | Efémero | Lascivo | Bucólico | Butequeiro | Blogueiro | Meio Intelectual | Meio de Esquerda | Gente Diferenciada...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s