Improvisando

Sobrevivendo com pouco, o improviso é diário
Com salário que nem dá pra rechear o armário
Vai mais um Tio, passando despercebido na rua :Herói!
Do dia a dia e não do Play Tec Toy

Vencendo as batalhas de esquina em esquina
Improvisando o trampo como quem improvisa uma rima
Malandro em cima da hora acorda o povo dahora
Sem medo, senhor, senhora, os que rí, os que chora

Em punga pra qualquer situação vai pro arrebento
Sai de casa pra buscar o sustento
Com a marmita batucando no fundo do buso
Bate garfo, bate fome, bate sono, bate tudo

Louco pra chegar em casa e dar um beijo na Dona
Brinca com o filho na rua, calçada vira poltrona
Vários são os problemas em condições precárias
Improvisando o povo busca soluções diárias

Não tem pipão? peixinho, peixinho não, bixeira
Bixeira é capuxeta, só folha sem vareta
Sem linha vai imenda, não vai cortar embola
Só linha de costura, bora empinar sacola

Era foda, na hora era o que tinha
Com o maior orgulho apontava pro céu: – Aquela é a minha!
Por isso nunca achei o valor na etiqueta de preço
E agradeço cada ripa que reforçou o meu berço

Ó nóis, colando o açúcar no chiclete
Improvisando moto, acelerando mobilete
Não tem adaga nóis ataca o canivete
Enquanto não tem Golf, piso fundo num Chevete”

Sem coleira pro cão? Amarra ele com fio!
Não tem casinha põe telha pra ele não sentir frio
Vivendo por um fio, tem sempre um desafio
Um pelo outro sentimos que nós não somos vazios

Na mesma situação, junto na mesma missão
Os planos podem ser outros mas tem a mesma intenção
Fortalecendo as quebradas com arte e cultura
Nosso grito, nossa música, nossa literatura

Nosso jornal sem página ou cabeçalho
As folhas são os muros, grafitando tem vários
Informação do nosso jeito falado e escrito
Organizando populares em que acredito

– O pobre dá um jeitinho! É o que falam de nós
Então demos um jeitinho falando com a própria voz
Eu tenho a mixa que abre a trinca do mocambo
Não temos grana, voltamos a praticar escambo

Cortaram a luz ? Faz gato. Não tem goró? vai mato.
Na casa da vovó lata de goiabada é prato
Relembrar desses fato, até deixou bolado
Por aqui nunca foi fácil se virar com trocados

Por isso dou valor a cada ensinamento dado
Um minuto de ideia e eu já estou renovado
Pra poder ir buscar o melhor, porque não?
Sei que sustenta, mas não quero só o arroz e feijão!

Na nossa vida só vira quem dá um jeito e se vira
Como um vira-lata buscando a solução pra fome
Revira o lixo, se vira, virou esquema, comida
Sacia a fome do vira improvisando Homem

Ó nóis, colando o açúcar no chiclete
Improvisando moto, acelerando mobilete
Não tem adaga nóis ataca o canivete
Enquanto não tem Golf, piso fundo num Chevete”

Por: Fabio Boca do DiQuintal

Anúncios

Sobre Fabio Boca

Fabio Duarte Gomes, o Boca, é um coringa paulistano entre inúmeras cartas e naipes nessa cidade cinza. Pensando, fazendo, escrevendo, sentindo, chorando, sorrindo, trampando e principalmente vivendo nesse caos urbano e suburbano em que acordamos todos os dias. Sem formação acadêmica, sem livro publicado, sem experiência, apenas escrevo e fotografo, com uma simples folha de caderno e um lápis; com uma simples câmera digital 7.2 mp. Os convido para entrar nesse mundo em que vivo e vejo, do meu ponto de vista.

3 comentários sobre “Improvisando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s