Cocaine is aspirin for the rich!

Seguindo uma dica do poeta Sergio Vaz, assisti estes dias a um documentário sobre a vida e morte de Pablo Escobar, o maior traficante de cocaína do mundo dos anos 70 até sua morte. A historia de Escobar é toda contada por seu filho Sebastían Marroquín (Juan Pablo), ele Mudou de nome após a morte do pai para proteger sua integridade. No documentário ele conta como foi a ascensão de seu pai no mundo do crime e todas as suas extravagancias.

Escobar nasceu em Rio Negro, mudou para Medellín na década de 60, e nos anos 70 iniciou o que viria a ser a mais promissora carreira criminosa que o mundo já viu. Escobar havia descoberto a formula do dinheiro, durante os anos mais prósperos seu cartel chegou a faturar 1 milhão por dia de seus revendedores. Na década de 80, Escobar já era conhecido internacionalmente, seus negocias se espalhavam por México, Porto Rico, República Dominicana, Estados Unidos e há quem diga que chegou até a Ásia. Na sua folha de pagamento havia incontáveis oficiais do Governo, Juízes, Promotores, Policiais, e Políticos. Escobar mantinha uma lei em seus negócios conhecida como “la plata o plomo” (Dinheiro ou Chumbo), aqueles que não aceitassem seu suborno eram assassinados. Escobar foi o responsável pela morte de três candidatos à presidência da Colômbia, pela explosão do voo Avianca 203 e do prédio de segurança de Bogotá em 1989. Alguns analistas acreditam que ele estava por trás do incidente na Suprema Corte Colombiana em 1985 que resultou no assassinato de metade dos juízes da corte pelas guerrilhas de esquerda. O Cartel de Medellín também esteve envolvido numa sangrenta guerra pelo controle do tráfico com o Cartel de Cali durante quase toda a sua existência. Dizem que sua crueldade era tanta que Pablo mandava cartas para suas vítimas, convidando-as para seus respectivos enterros, e seus capatazes as executavam precisamente na data marcada para o funeral.

No inicio dos anos 90 o Cartel de Medellín controlava 80% do mercado mundial de cocaína. A organização tinha aviões, lanchas e veículos caros, além de vastas propriedades e terras que eram controladas por Escobar, uma delas mais parecia uma arca de Noé, com animais vindos de todas as partes do mundo. O dinheiro entrava de forma incalculável nesse período, estima-se que o Cartel de Medellín chegou a faturar cerca de 30 bilhões de dólares por ano.

Tanto sucesso em seus negócios fez de Escobar um inimigo dos governos dos Estados Unidos e da Colômbia, mas para muitos em Medellín ele era um herói, bem relacionado fez muitas coisas para melhorar a vida dos mais pobres da cidade. Construiu estádios, financiou times de futebol, construiu casas populares, e até distribuindo dinheiro aos pobres. Tamanha bondade lhe rendeu a alcunha de Robin Hood.

Com a ajuda do governo americano, a polícia da Colômbia encontrou Escobar, que estava foragido desde 92, achado num bairro de classe média de Medellín, encurralado num telhado Escobar trocou tiros e acabou sendo executado com um tiro fatal no ouvido.

DRUGS_COVER_LOW

Antes de se tornar mal social a cocaína foi usada como medicamento no tratamento de feridas, anestésico local, elixir do vinho Mariani, muito apreciado pelo Papa Leão XIII. A coca-cola foi inventada numa tentativa dos comerciantes americanos de competir com o vinho Mariani, e seu poder atrativo foi determinante no sucesso da bebida.

No início a droga era usada apenas para tratar dependentes da morfina, mas sua eficaz ação nos neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer no cérebro chamou a atenção dos psiquiatras. A partir de então se o mal fosse do humor, uma severa depressão, por exemplo, os médicos não pensavam duas vezes em receitar soluções à base de cocaína. Que o diga Sigmund Freud, usuário e promotor da droga no início do século 19, época em que chegou a publicar o livro Über Coca, sobre suas experiências com o pó branco. Com a palavra, o pai da psicanálise: “O efeito da cocaína é uma exuberante e duradoura euforia que, de forma alguma, difere das sentidas naturalmente pelos seres humanos”. Anos depois, o médico reconheceu estar errado diante dos altos índices de pessoas viciadas no tóxico.

Fim_de_Festa

Hoje mesmo proibida a cocaína pode ser encontrada facilmente no armarinho do banheiro nas festas de bacanas, algumas vezes servida em bandejas na sala se o pessoal for mais descolado, é conhecida como aspirin for the rich (aspirina dos ricos), vendida principalmente nas periferias e regiões mais pobres da cidade. Se fosse legalizada os governos da Colômbia, Bolívia e Peru teriam rendimentos de 70 bilhões por ano, dinheiro que Pablo Escobar usou para melhorar as condições de vida do seu povo. E mesmo sento o maior comerciante da droga no mundo, Escobar nunca usou cocaína durante sua vida.

A cocaína assim como o cigarro causa dependência sim, mas seus malefícios ao corpo são menores dos que os caudados pela nicotina.

Autor: @robsonpnx
Imagem: Beto Martinez
Imagem_2: Robson Almeida

Anúncios

Sobre Robson Almeida

Baiano radicado em São Paulo, Paulistano de coração | Diletante da Escrita | Efémero | Lascivo | Bucólico | Butequeiro | Blogueiro | Meio Intelectual | Meio de Esquerda | Gente Diferenciada...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s