All the Jazz

Rasguei o verbo, rasguei as vestes, rasguei a carne. O que eu esperava? Palavras em amplos sentidos que dessem sentido a alguma coisa profunda, tão profunda que parecia um abismo, e o que pode encher um abismo?

Uma garrafa de vinho depois me sentia melhor, rubro vinho seco, seco como minhas ideias sobre as palavras, o despertador tocou e com o romper da aurora somente a certeza de que tudo são breves momentos…

E quantos momentos infinitos podem existir dentro de uma existência, sou e não sou coisas que nem eu sei, redundante mas verdadeiro cheio de nuances como o bom e velho jazz.

 

: Branca Raffi

Anúncios

Sobre Branca Raffi

... paranaense, paulistana desde a primeira garoa aos 7 anos de idade e que adora vadiar pela paulista, augusta e centro da cidade observando as pessoas, amante das palavras, etílica, aspirante a tocar a vida das pessoas, eclética, ri sozinha, e sempre sonha que está voando...

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s