Efêmera

Viveu o amor das músicas, o brilho dos filmes, a esperança das crianças… morreu na mentira aos 87 anos, sozinha.

Vida efêmera.

Nasceu sem pai, a mãe morreu aos 28, amigos nunca teve, amores só dos homens que à pagava…

É tudo mentira!

Creu nisso até o dia em que dormiu pra nunca mais acordar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s