Arquivo da tag: Desabafo

Nunca mais…

Nunca mais dormir na rede;

Nunca mais diamante negro;
Nunca mais amor fora de hora;
Nunca mais ver o por do sol juntos;
Nunca mais brigadeiro com sorvete;
Nunca mais sms pra dizer “eu te amo”.
Nunca mais o sorriso largo pela manhã…
Nunca mais um corpo pesando sobre o outro;
Nunca mais declarações ao som de Roupa Nova;
Nunca mais madrugadas acordados ao telefone;
Nunca mais cineminha pra ver comedia romântica;
Nunca mais leram o mesmo livro, ao mesmo tempo;
Nunca mais aquela dança lenta ao som de Marisa Monte;
Nunca mais aquela mania louca de colocar Ketchup em tudo;
Nunca mais o cheiro de Kriska Jeans que ela deixava no travesseiro;
Nunca mais aquela mistura de sabores enquanto cozinhavam juntos;
Nunca mais banhos a dois, aqueles demorados dos dias fios de inverno!

Helen_Green

Nunca mais paixão;
Nunca mais romance;
Nunca mais amou de novo;
Nunca mais um “oi”;

Autor: @robsonpnx
Imagem: Helen Green

Exaustão

Teto branco,luz fria.
Dor nas pernas.Elas estão fracas, ainda que eu as sinta forte.

Perdi a fome e a vontade de entender o que se passa dentro de algumas pessoas.

O convívio,as mentiras e a falta de zelo, fazem isso com a gente. Matam as coisas por dentro,fazem a migalha de hoje,ser amanha a maior parte do problema .

Eu daria tudo para estar a mil por dentro,virando a mesa,quebrando tudo e dizendo pro mundo o quanto certas situações são insustentáveis.

Velhice ? falta de apetite ? cansaço ?

Hoje em dia eu mesma não entendo,de onde vem essa falta de vontade, de ar, de ação.

___________________________________________________________

A imagem é da Daniele Queiroz.

Desabafo!

tumblr_m2hghm3QGp1r1klezo1_1280

Nessas madrugadas vazias e insones é que me surpreendo com uns sentimentos que eu pensei que já não faziam parte mais de mim. Eu que pensei que já tinha superado tudo…Aí, sempre vem essas noites silenciosas para trazer à tona todo esse rebuliço sentimental. Acho que a gente só supera mesmo o fim quando rasga as fotografias, apaga os e-mails e os sms. Preciso confessar que não fiz nada disso. Antes eu pensava que não tinha feito por respeito a nossa história. Apesar dos percalços foi algo marcante e único para nós dois. Mas, não teve nada a ver com respeito. Essas lembranças eu deixei ficar para poder recordar algo que me fez tão feliz por tanto tempo. Hoje, juntando todos os anos, somos mais tempo separados que unidos, mas, apesar de tantas negações, tá tudo ainda na carne viva. Que loucura poder ver no presente o quanto a vida nos separou, o quanto mudamos…Eu pelo menos, mudei demais. Acho que pra melhor. Será que você ia gostar mais de mim, do jeito que sou hoje? Analisando o passado, vejo o quanto você foi paciente e amoroso comigo. Errei muito, erramos. Era tudo muito intenso e demais, no mesmo tempo que frágil e sensível. Sempre digo que o amor e o orgulho não existem juntos. Ou se tem um ou se tem o outro. No meu caso, eu sempre opto pelo amor e não tenho vergonha disso. O que fazer, mesmo quando se já correu atrás as coisas não deram certo? Quando de fato vamos por um fim nisso? Ou você já deu e eu não sei. Me dá uma agonia imensa ter a sensação que ninguém jamais vai me dar tanta segurança quanto você. Me sinto perdida e indefesa. Jogada num mundo cruel sem ninguém pra me receber no fim do dia com um abraço apertado e quente, junto com um ‘agora vai ficar tudo bem. eu vou sempre te proteger e te cuidar’. Aliás, esse desabafo era só para o meu caderninho, mas, colocar aqui é uma forma de dividir com você. Mesmo que essa época de tudo que eu faço, diga e escreva seja importante pra você, já tenha ficado num passado distante.

— Kyo Delucena