Arquivo da tag: Discriminação

O genocídio de Alckmin (2)

CASO PINHEIRINHO: Não sou contra o direito de
propriedade, sou a favor do bom senso!

Em São José dos Campos, cerca de 1,6 mil famílias ocupam a área de mais de 1 milhão de m² que é “de propriedade” do “investidor” Naji Nahas, sujeito que chegou a ser preso na operação Satiagraha da Polícia Federal, em 2008. Como tem grana, foi liberado três dias depois. Ele também ficou famoso no episódio da quebra da bolsa do RJ.

Enfim, a área do Pinheirinho faz parte da massa falida da empresa Selecta S/A, de Naji Nahas (ah, ele também deve milhões em impostos à prefeitura de São José dos Campos, por que a prefeitura não cobra ele?).

O prefeito Eduardo Cury (PSDB) por anos vem resistindo para regularizar a área e essa semana até o Ministério Público está acusando a prefeitura de São José dos Campos de omissão. Há algum tempo os governos federal e estadual estão tentando ajudar na regularização da área, mas o prefeito tucano segue se omitindo.

Conforme relata o blog Conteúdo Independente, ”desde 2004 o senhor Naji Nahas, proprietário do terreno, exige a desocupação. Desde 2004 a prefeitura do PSDB de São José dos Campos encara o ‘problema’ do Pinheirinho como um caso de polícia. Nesse meio tempo, o número de habitantes cresceu, os lotes viraram casas, comércios e igrejas, e o terreno abandonado por mais de 30 anos virou um bairro.”

Destaco mais este trecho: “O que está em jogo há oito anos em São José é a disputa pelo direito à moradia, à liberdade de organização política, à justiça social e a luta contra a desigualdade econômica e todas suas consequências degradantes; em última instância é a luta pela dignidade humana.”

_______________________________________________________

Na sexta-feira (20/01), a reintegração de posse havia sido suspensa pelo Tribunal Regional Federal – 3ª região. A juíza MÁRCIA LOUREIRO (guardem esse nome), no entanto, não reconheceu essa liminar e manteve a ordem de reintegração, que resultou na violenta invasão do Pinheirinho esse domingo.

Por volta das 11h, um oficial da Justiça foi até a ocupação entregar uma decisão do juiz federal de plantão Samuel de Castro Barbosa Melo, suspendendo a ação. No entanto, o juiz estadual Rodrigo Capez (irmão do deputado estadual Fernando Capez, DO PSDB), que acompanha a reintegração, disse que havia um “conflito de competências” e não acatou a ordem do juiz federal.

Enfim, é triste ver a truculenta PM de Alckmin agindo a favor do “investidor” Naji Nahas.

Autor: Vinícius Bocato

O genocídio de Alckmin (1)

Governo e Justiça de SP têm que ser denunciados

à OEA e à ONU!

Na manhã de domingo, recebo telefonema de um amigo que me estarrece. A Polícia Militar, ignorando decisão da Justiça Federal, invadiu o bairro do Pinheirinho, em São José dos Campos. Há relatos de mortes e prisões de moradores.

Incêndios em favelas, violações de direitos humanos na Cracolândia e, agora, genocídio de famílias pobres para devolver um terreno a uma empresa.

Usam um efetivo de quase 2 mil policiais, blindados, helicópteros. A PM fechou todas as ruas do entorno do Pinheirinho para impedir a saída dos moradores. Parte da imprensa foi recebida a bombas.

Os movimentos sociais, sindicatos, OAB e o Ministério Público (que já investiga o governo tucano de São José dos Campos por inviabilizar negociações no Pinheirinho) têm que se unir e denunciar o Brasil à OEA e à ONU contra a ditadura paulista.

Mas o maior responsável é o governador Geraldo Alckmin, que permitiu que a PM agisse dessa forma. As mortes que vierem a ocorrer são de exclusiva responsabilidade dele e da Justiça estadual de São Paulo.

O que está ocorrendo é um crime de lesa-humanidade, um genocídio contra mulheres, crianças e velhos, além dos pais de família que estão tombando. Não podemos aceitar mais isso.

Declaro que este blog e o Movimento dos Sem Mídia estão à disposição das vítimas da ditadura paulista no Pinheirinho e me proponho a integrar qualquer ação que vise denunciar o Brasil aos organismos internacionais.

Há uma guerra de competências entre juiz federal e juiz estadual. Poder Executivo de SP tem que intervir porque ameaça a Segurança Pública. São Paulo está gerando uma crise institucional no país.

Autor: Eduardo Guimarães

PS: Este texto é o primeiro de denuncias que farei para mostrar aos leitores dos outros estados e de outros países – sim somos lidos mundo afora – como anda a administração publica em nosso estado!

Quem tem medo de arco-íris?

Só nazistas e fascistas negarão a importância da diversidade. Mas na prática é uma dificuldade imensa trazer para as atitudes cotidianas esse respeito intelectual que manifestamos pelo diferente. E quem diz que nunca discriminou alguém é um tremendo mentiroso. No Brasil, por exemplo, todo homem é machista até que seja devidamente educado. Eu me incluo nesse grupo, não sou perfeito, afinal ninguém está vacinado contra a discriminação, como autor ou vítima.

Diversidade é conhecer, entender, respeitar e apreciar outras formas de pensamento, modelos de vida, culturas, filosofias, raças, opiniões, cores, expressões artísticas e físicas, para compartilhar valores e somar vivências.

Angelika_Peissker3

Mas a pergunta que não se cala na minha cabeça; Por que o homossexualismo incomoda tanto?

Tai, eu não sei… Mas acredito que a ignorância, é uma mãe superprotetora da intolerância… E é essa intolerância enraizada na nossa sociedade que permite, que um pai e seu filho sejam agredidos por andarem abraçados, numa feira agropecuária, é a intolerância também que permite que torcidas de times diferentes se enfrentem nos dias de clássico, a mesma intolerância que permite a PM cair de pau em manifestantes desarmados (seja qual for o motivo do protesto). Todo aquele que ignora ou se recusa a entender a diversidade é sim intolerante.

As pessoas acham que é melhor filho ladrão que filho gay, as pessoas têm de entender é que a doença não é a homo afetividade, é a homofobia. Alou meu amigo homofóbico, homossexualismo não é doença não, e tão pouco seu filho vai virar gay se crescer vendo outros homens se beijando, seja na TV, no cinema ou nas ruas! Orientação sexual não é escolha, e não influência ninguém, nem tão pouco é genética! Ou será que você acha que alguém vai topar sofrer preconceito da família e da sociedade em si, só porque esta na moda? Eu duvido disso! O cara que se assume e sai do armário é muito macho na minha opinião! Orientação sexual é instinto, desejo, tesão… Uns tem com homens e outros com mulheres, mas esse desejo independe de sexo.

Eu não sou homofóbico, mas sou chatofóbico… Odeio aqueles gays que pensam que todo homem hétero gostaria de ser gay também, mas não fazem porque não tem coragem, aqueles tipos de caras chatos que dão em cima sem respeitar seu espaço quando você vai numa balada GLS. Falta de respeito é uma coisa que muito me incomoda. Tenho amigos gays, e nunca nenhum deles invadiu meu espaço, isso eu chamo de maturidade, afinal amizade não tem nada haver com orientação sexual!

Pra terminar o assunto, deixo para que reflitam a frase do Zé Celso; “Todo homofóbico é uma bicha enrustida”. Pense nisso!

Autor: @robsonpnx
Imagem: Angelika Peissker